Indescritível. A sincronicidade, os encontros, a magia, o bom humor, o espaço para a intimidade, para a vulnerabilização e para o apoio e uma programação (chamada aqui de Design do Ritmo) impecável!

Destaque para a construção do novo Labirinto e, no primeiro dia do ano, a vivência guiada por Regis Apoenã, pelos tambores e as vozes mais encantadoras da floresta, o que mobilizou muitos processos! Guh Cino com Maria Ceiça plantaram, abriram canteiros e compostaram com um grupo bem animado independente do humor climático.

A primeira Oficina da tarde foi a de CNV (Comunicação Não-Violenta) com a Fabi Maia que (como sempre) foi incrível e todos saíram da vivência com seus pares empáticos já engajados. Todos os dias tinha 1 hora na programação para as duplas chorarem e rirem, criando cumplicidade e fortalecendo o músculo empático! Foi lindo de ver!

No outro dia foi a vez de Pierre Stocker esbanjar seu talento todo na Oficina de Terapia do Som (Sound Healing) explorando o universo da vibração sonora e seus efeitos de cura. Nessa noite teve Jornada Sonora depois do jantar – um dia mais introspectivo… um deleite.

No dia 31, um grupo grande se mobilizou para a decoração da festa de Ano Novo, como é de costume! Criaram um lounge super bacana no deck protegido por um toldo criado no dia anterior pelo grupo anfitriado pelo nosso querido Glenn Suba. Estava lindo mesmo! Até que uma tempestade… não, aquilo era quase um tufão que passou e encharcou tudo, quebrou um espelho e castiçais de vidro, o grupo unido segurava o que podia. Minutos depois uma galera varreu os cacos, secou o que dava, dispersou o lindo lounge em outros ambientes e voilá… a decor da festa estava linda de novo!! O ritual esse ano foi na Tipi e a vibração foi super elevada, todos bem concentrados, muitos tambores e os cantos reforçados pelo trio mais que luminoso da Luiza (18), Bianca (17) e Naomi (16) do Soul Sound. Ah! Essas meninas-mulheres deram o tom do Viver ComUnidade. Bom, e a festa de Ano Novo depois do Ritual foi a melhor que já tivemos nessas terras luminosas. DJ Ric Johnnie arrasou, Pierre Stocker tocou a noite toda por cima dos sons super dançantes e teve até a seleção trance do Glenn que fez todo mundo pular. Uhuu!

A Rô Arantes com aquele sorriso gostoso comandou a célula de alimentação do começo ao fim, com algumas participações do André Lima e do Glenn. O banquete de Ano Novo estava lindo e delicioso…uma prova de como pode-se comer bem sendo vegetariano (com muitas opções veganas). Aliás os veganos passaram muito bem!

No final: revelação de anjos e a tradicional roda de partilha Money Pile que fez todo mundo chorar de emoção – muita cura na relação com o dinheiro e na confiança da abundância! Enfim, celebração e gratidão de todos que passaram por essa experiência de começar 2018 assim com nossa necessidade de comunidade tão bem atendida!!!

Compartilhar